Alergia respiratória: proteja-se na primavera

Nesta época do ano, devido ao pólen que se desprende das flores, muitas pessoas acabam sendo prejudicadas pela rinite alérgica. Os principais sintomas assemelham-se a um resfriado, porém coriza, espirro e coceira no nariz podem também ser um caso de alergia. Além disso, casos de catapora e conjuntivite costumam acontecer no início da Primavera. 

Pólen

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), de 10% a 20% da população do planeta sofrem com rinite alérgica. As alergias não têm cura, mas podem ser evitadas e controladas, assim como outras doenças. E algumas medidas simples podem ajudar a minimizar os problemas, lembrando sempre que é importante buscar ajuda especializada em casos mais graves.

  • Usar sabão neutro para lavar roupas e lençóis
  • Manter o quarto arejado e limpo
  • Guardar brinquedos de pelúcia ou envolvê-los em plásticos transparentes
  • Limpar a casa com pano úmido
  • Eliminar tapetes e carpetes da casa
  • Deixar o sol entrar em casa para eliminar os ácaros
  • Manter sempre as mãos limpas, evitando contato com os olhos
  • Evitar locais com fumaça, mofo e cheiros fortes
  • Beber bastante líquido

A rinite alérgica é uma doença muito comum e o uso de medicamentos é indicado quando prejudica a qualidade de vida. Nesses casos, eles devem ser administrados de forma contínua, principalmente na primavera. Tratam-se de medicações seguras e que podem ser usadas por longos períodos, desde que com orientação médica.

Usar um remédio para alergia melhora os sintomas como coceira, espirros, inchaço ou tosse, que estão associados a reações alérgicas a determinadas substâncias como ácaros ou pólen, por exemplo.

Estes medicamentos podem ser encontrados em comprimidos, gotas, sprays nasais, colírios ou xaropes, e, embora possam ser comprados em qualquer farmácia, só devem ser usados sob indicação médica.

Principais tipos de remédios para alergia

Os principais tipos de remédios que podem ser usados contra alergia são:

1) Anti-histamínicos

Allegra, Polaramine e Loratadina são exemplos de anti-histamínicos. Eles impedem a ação da histamina, uma substância envolvida na resposta alérgica do corpo. Possuem várias classes, de 1ª e 2ª geração, que variam em sua forma de ação e efeitos colaterais (como a sonolência).

2) Descongestionantes

Pseudoefedrina, fenilefrina e oximetazolina são geralmente indicados juntamente com os anti-histamínicos e ajudam a controlar a secreção nasal porque são vasoconstritores e ajudam a desinchar os tecidos inflamados aliviando a congestão nasal, vermelhidão e o muco. Muitos deles causam dependência e devem ser usados com moderação e sob orientação médica.

3) Corticosteroides

Prednisona, beclometasona, dexametasona e furoato de fluticasona também podem ajudar no tratamento da alergia, tendo ação quase imediata nas alergias respiratórias, como rinite e urticária.

Este tipo de medicamento atua “desinflamando” os tecidos afetados pela alergia e podem ser encontrados em forma de comprimido, xarope, spray nasal ou pomada e geralmente precisam ser usados mesmo quando os sintomas de alergia já não estão presentes, como acontece na exacerbação da asma, muito comum também nessa época do ano. Vale lembrar que os corticosteroides possuem muitos efeitos colaterais e não devem ser usados sem orientação médica.

4) Broncodilatadores

Salbutamol e Levalbuterol são exemplos de remédios que facilitam a entrada do ar nos pulmões, sendo indicados para o tratamento de alergia respiratória e crises asmáticas. Estes remédios são encontrados em forma de spray ou pó para inalação.

A automedicação pode trazer consequências graves para a saúde. Consulte seu médico. Informe-se com o farmacêutico.

FONTE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *